junho 08, 2010

(:O que é o amor? Alguém sabe?:)


Desde miúda que sonhava com um amor romântico, intensamente apaixonado como aqueles que se lêem no livros românticos da sabrina. Esperava pela materialização do conto da Cinderela e principalmente com o "Felizes para sempre". E o que aconteceu? A vida mostrou-me da pior maneira que não existem contos de fadas e que o Felizes para sempre, é apenas um final de uma história que ninguém sabe como acaba. Podem pensar que guardo alguma mágoa ou mesmo rancor e é verdade. Sinto-me enganada por uma mentalidade familiar que nos coagia com falsas promessas, como o encontrar a pessoa certa através do nosso bom comportamento.
Tínhamos que ser meninas respeitadas, imaculadas, inocentes para que o verdadeiro amor nos encontrasse, para que o homem certo nos prometesse amar e respeitar na alegria e na tristeza, na saúde e na doença até ao fim das nossas vidas. Uma promessa feita honradamente perante Deus e algumas dezenas de testemunhas. E para quê? Para nos controlar, enganar e manipular desde esse momento em diante.
Sinto muita mágoa sim, muito rancor pela desilusão que feriu a minha integridade individual, pelo sofrimento causado ao longo de anos, pelo desprezo de uma promessa quebrada.
É verdade que acabou o meu calvário, terminou a minha provação, mas até quando permanecerão as marcas no meu coração?

11 comentários:

-Bizarre' disse...

Eu já deixei de acreditar no amor._.

Miguel disse...

Rapariga,

Encontrar a pessoa certa não é fácil. É preciso sorte, que ela se cruze connosco, e depois que as pessoas se dêem a conhecer...

São os acasos da vida. Nunca sabemos quem é aquela pessoa a quem viramos as costas ou a outra a quem estendemos a mão num sorriso aberto.

As pessoas têm de se conhecer e depois tomam as decisões que acharem que devem tomar. Essas decisões vêm sempre da vontade, consciente ou inconsciente, de cada um.

Enfim, eu falo muito sobre o que perguntas aqui. Sei o que é o Amor para mim mas eu, já percebi, vejo muita coisa diferente da maioria das pessoas...

Tomo a liberdade de te deixar aqui dois posts que falam de algum modo sobre isso:

http://ensaiossobreavidanaterra0.blogspot.com/2010/02/ensaios-relacoes-e-vontades.html

http://ensaiossobreavidanaterra0.blogspot.com/2010/02/f-que-ha-um-gajo-no-mundo-que-pensa.html

Para terminar, que já estou a abusar, digo-te que percebo muito bem a tua mágoa e, de alguma forma, é a minha também!

Felicidades

José Pedro disse...

O amor tem muito que se lhe diga, por muito que investigue ainda não o consigo defenir de modo nenhum.
Gosto mais de pensar em relações e partilhas são bem mais fáceis de defenir.
Mas uma coisa é certa, quando algo acaba as marcas ficam sejam boas ou más
Um beijo

Vanessa Furtado disse...

Eternamente concebidos para amar alguém. Também para chorar. Sofrer desencontros e encontrar um inúmero lote de novas possibilidades. Tudo isto sem sequer saber porque e como amamos. Viver o presente é o efeito. Sentir. Sentir e sentir ainda mais, a causa. Sem preconceito e teorias do “deixa andar”. Ser e amar ao mesmo tempo é tarefa para quem entende que o amor não se entende! Para quem aceita que o amor não se aceita. Para quem sente que não se sente só. Mas sim para quem sabe que eles, estão cá dentro. Os sentimentos. Tranquilamente rendidos à sua condição de tão simplesmente existirem.

Como diz o amigo Jorge Palma "enquanto houver estrada para andar"...

Gostei da tua sinceridade e vou seguir. ;D voltarei

Corina de Oliveira disse...

Adorei o teu blog! :) É simplesmente fantástico!

Se quiseres faz uma visitinha ao meu espaço:

http://o-meu-reino-da-noite.blogspot.com/

Beijinhos e obrigada *

Se eu pudesse... disse...

Quando conhecemos uma pessoa, e nos apaixonamos por ela, acabamos apenas por ver as suas qualidades, fechando os olhos aos defeitos, por vezes graves. Eu, já fui muito magoado, saí de uma relação de 5 anos e da qual nasceu um menino (que hoje é a minha razão de viver). Fui espezinhada, traída, magoada, desvalorizada. Por momentos deixei de acreditar no amor. Até que passados anos, descobri que afinal o amor não era aquilo, aliás não poderia mesmo ser aquilo! E foi então, que de um encontro casual, descobri mesmo o amor, alguém que se preocupa connosco, que tenta a todo o custo proteger-nos, que só está feliz quando nós tb estamos, etc...
E acredita q essas marcas q falas, vão permanecer, mas um dia de forma positiva. Vão fazer-te olhar para a pessoa que está a tua frente, "inloco", com todos os defeitos e qualidades, e aí é a ti que caberá decidir se estás disposta a dar uma 2a oportunidade ao amor!
Beijinhos

cincoeumquarto disse...

Eu vivo neste momento um amor, tem os seus dias bons, os seus dias maus. Mas é realmente A M O R !
Existe todos os dias a preocupação de termos a certeza que o outro está bem, queremos acarinhá-lo e deixá-lo feliz sem limites :)
É amor.
Espero que seja.
Beijinho *

anf disse...

caí aqui por acaso e gostei do que li,
beijinho

Suse Crispim disse...

muito bom texto, vou seguir o blog! passa no meu :)

www.showmeyourbiggestsmile.blogspot.com

O Cantinho da Beleza disse...

Gostei do teu blog, muito sentimento=) Vou segui-lo...
Visita tb o meu blog: http://ruteairesavon.blogspot.com/
Beijinhoss**

inês. disse...

Olá!
Criei à pouco tempo um blog, chama-se “magazine”.
Gostava que o visitasses e talvez se gostasses, seguires.
Fica aqui o link:
inesblogmagazine.blogspot.com

Espero que gostes, beijinho*